GdH-Indústria promove pitches com startups que estão sendo pré-aceleradas

31 de março de 2022

Ideias inovadoras passaram por avaliação de banca durante evento no Senai Poço

Depois de cinco meses de mentorias, orientações técnicas, capacitações e assessorias, as quinze startups alagoanas apoiadas pelo Programa Geração do Hoje – Indústria (GdH-I) mostraram que estão maduras para entrar em uma nova fase de desenvolvimento. É hora de começar a tirar as ideias inovadoras do papel.

Nessa quarta-feira, 30, os empreendedores que participam do programa de pré-aceleração do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Fundação de Amparo à Pesquisa de Alagoas (Fapeal) e Secretaria de Estado da Ciência, da Tecnologia e da Inovação (Secti) apresentaram seus projetos para empresários e especialistas. Os pitches (apresentações curtas) aconteceram no Senai Poço.

O gerente de Inovação e Tecnologia do Senai Alagoas, Maicon Lacerda, revela que todas as empresas já constituíram CNPJ e algumas delas já avançaram para a fase de MVP – Produto Mínimo Viável. “Ou seja, já desenvolveram protótipos para serem testados no mercado”, explica ele, ao lembrar que a jornada dessas startups continua. “É hora de aplicar a subvenção de R$ 20 mil para que os novos empreendedores alcem voos mais altos”, conclui.

Na solenidade, o diretor regional do Senai e superintendente do Sesi/AL, Carlos Alberto Paes, destacou a importância de estimular a cultura inovadora desde cedo. “A inovação é um dos eixos estratégicos do Senai e essas parcerias aproximam a Indústria do Senai e o Senai da Indústria. No Sesi, a gente estimula a iniciação científica desde a educação básica”, declarou, ao citar os convidados especiais da cerimônia: alunos de duas equipes de Robótica do Sesi, a FTCamb (Cambona) e a FTBen (Benedito Bentes).

Para o secretário Sílvio Bulhões, titular da Secti, as ações do governo e as parcerias começam a permear toda a trilha do empreendedorismo no Estado. Ele enumerou as ações como o programa Geração do Hoje nas vertentes Indústria e Serviços, a Lagoon, primeira aceleradora de empresas de Alagoas, e o Mentoring Team, programa que contrata especialistas para dar suporte técnico às startups. “Vivemos um novo momento no nosso ecossistema de inovação, ofertando todo o suporte para tirar ideias inovadoras do papel”, disse Bulhões.

Investimento em pessoas

O investimento nas pessoas é o que vai dar eficiência a essas ações pela inovação e empreendedorismo em Alagoas, disse o presidente da Fapeal, Fabio Guedes. Somando-se ao apoio às universidades e à interiorização das ações, os resultados sólidos surgirão no médio e longo prazos, avalia. “Alagoas começa a trilhar o caminho da inovação com firmeza. Mas é preciso investir em gente, pois não se começa pelo telhado e, sim, pelas bases”, afirmou.

Premiação

As três melhores apresentações foram premiadas após avaliação da banca composta por representantes de indústrias. Em primeiro lugar, ficou o projeto TaskLabs, dos empreendedores Eduardo Pacheco, Ewerton Felipe de Souza e Eliseu Rosa Miranda; em segundo, o Shellgrain, que tem na equipe Maisa Cavalcanti e Fernanda Ferro; e, em terceiro, o Care, por Leonardo Lins Tenório e Julyanne Dias Sampaio.

O TaskLabs é um sistema de monitoramento de risco inteligente, que utiliza reconhecimento de imagem, big data e inteligência artificial, aplicado ao reconhecimento de utilização de EPI´s em áreas críticas.

O CEO da Task Vision, Eduardo Pacheco, 24 anos, aluno do curso técnico de Petróleo e Gás no Senai e de Engenharia de Petróleo, conta que o GdH-Indústria é uma porta de entrada bem ampla para o desenvolvimento da empresa e entrada no mercado.

“Fomos muito bem recebidos aqui, no Senai. A gente teve assessoria muito forte, tanto da parte do governo, quanto da parte da instituição. Nós ampliamos nosso networking, tivemos a oportunidade para criar e, com a orientação do pessoal daqui, conseguimos galgar um bom resultado”, destacou o jovem empreendedor.