Cursos abertos

BLOG SENAI

Como fazer renda extra: 5 cursos que podem te ajudar

Notícias

  • Projeção aponta que, desse total, 45 mil já têm uma formação ou estão inseridos no mercado de trabalho, mas devem se atualizar. Outros 13 mil precisarão de formação inicial

    Alagoas precisa qualificar 58 mil trabalhadores em ocupações industriais até 2025

    Até 2025, o estado de Alagoas precisará qualificar 58 mil pessoas em ocupações industriais, sendo 13 mil em formação inicial – para repor inativos e preencher novas vagas – e 45 mil em formação continuada, para trabalhadores que devem se atualizar. Isso significa que, da necessidade de formação nos próximos quatro anos, 77% serão em aperfeiçoamento. As ocupações industriais são aquelas que requerem conhecimentos tipicamente relacionados à produção industrial, mas estão presentes também em outros setores da economia. O mercado de trabalho passa por uma transformação, ocasionada principalmente pelo uso de novas tecnologias e mudanças na cadeia produtiva; e, cada vez mais, o Brasil precisará investir em aperfeiçoamento e requalificação para que os profissionais estejam atualizados. (mais…)

    LER MAIS
  • Aprendizes expõem conhecimentos adquiridos em sala de aula no Senai

    Os jovens aprendizes que fazem o curso de assistente administrativo no Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), em parceria com as usinas Santo Antônio e Camaragibe, tiveram uma manhã diferente nesta segunda-feira, 9. As turmas dos turnos matutino e vespertino apresentaram os assuntos que aprenderam em sala de aula na etapa teórica da formação, durante seminário. As duas unidades sucroalcooleiras possuem, juntas, 250 aprendizes do Senai, número que deve chegar a 273 até outubro, segundo o gerente das usinas, Silvano Alves da Silva. Uma quantidade tão alta de gente nova nas empresas, diz ele, provocou uma mudança de paradigma, porque exige adaptação tanto dos profissionais com experiência no mercado, quanto dos jovens estudantes. Ele revela que a área de recursos humanos das empresas utiliza uma palavra chamada “CHA”. “O ‘C’ é o conhecimento que ele adquire estudando; o ‘H’ de habilidade, que é você praticar todo esse processo que acontece, como o cara que está lá e aprendeu ao longo da vida, tendo muita experiência no que faz; e o ‘A’ é de atitude ou de ação. A gente espera essa ação tanto do cara que está lá, que é o mestre no que está fazendo, quanto do jovem aprendiz que está chegando. Essa interação entre eles é importante, muito boa”, afirma Silvano. Realizado no Senai Poço, o seminário teve como tema “Integra-me! Conhecimento gerando aprendizado”. Durante o evento, o gerente da escola, Welton Barbosa, destacou os diferenciais da formação oferecida na instituição. “O aprendiz do Senai tem a oportunidade de atuar na indústria. Geralmente, são empresas que têm uma estrutura administrativa e um corpo técnico muito bons. Então, além de ter a oportunidade de conhecer, de desenvolver as capacidades técnicas dentro de sala de aula ou nas suas práticas dentro do Senai, ele vai para um ambiente onde irá por em prática tudo aquilo que aprendeu”, afirmou. O programa também abre as portas do mercado de trabalho. É o caso de Eduarda Valéria, assistente de recursos humanos da Usina Santo Antônio, ex-aprendiz do Senai. “O papel do Senai para que eu pudesse ser efetivada na empresa onde eu trabalho foi muito importante, porque passei seis meses estudando como jovem aprendiz, estudando com professores excelentes que me prepararam e me capacitaram para que eu pudesse fazer a parte prática lá na usina”, lembra. A Usina Santo Antônio fica no município de São Luís do Quitunde e a Camaragibe, em Matriz do Camaragibe, na região Norte de Alagoas. Os impactos econômicos das unidades alcançam 14 municípios no entorno, com cerca de 7.500 funcionários contratados na safra e 5.500 no período da entressafra. Por safra, são produzidas em torno de 2 milhões e 700 mil toneladas de cana, que se transformam em açúcar demerara e cristal, além de etanol. “Produzimos também energia”, diz o gerente Silvano Alves.

    LER MAIS
  • Cursos do Senai/AL serão referência para avaliação nacional de estudantes

    Os cursos técnicos das áreas de Petroquímica e de Administração do Serviço Nacional de Aprendizagem industrial (Senai) de Alagoas serão referência para a avaliação que o Departamento Nacional do Senai realiza, periodicamente, para medir o nível de aprendizado dos seus alunos em todo o país. “No Estado em que houver cursos Técnicos de Petroquímica e de Administração, a avaliação será feita com base no material produzido pelo comitê técnico e validado aqui em Alagoas, conforme teste de aplicação em alunos do Senai”, explica o gerente do Senai Poço, Welton Barbosa. Durante esta semana, a equipe técnica participa das oficinas de pré-teste dos instrumentos das provas práticas dos cursos técnicos, visando à Avaliação de Desempenho dos Estudantes de 2023. Em Alagoas, por exemplo, serão realizados testes com plantas didáticas que simulam os processos de uma indústria petroquímica em escala reduzida. É na escola do Senai Poço, em Maceió, que as atividades acontecem até a próxima sexta-feira, 29. O grupo é formado por integrantes do Senai Nacional e dos departamentos regionais de São Paulo, Ceará, Pará, Paraíba, Pernambuco, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Alagoas. “Nos empenhamos para que, a cada edição, os instrumentos avaliativos sejam aprimorados de forma que reflitam o que de fato está contemplado na nossa proposta de ensino e na nossa prática formativa. Assim, podermos realizar uma avaliação justa, representativa e eficaz”, ressaltou a especialista de Desenvolvimento Industrial do Senai Nacional, Geicivan Barbosa. Ao final as oficinas, os dois grupos devem finalizar os cadernos de prova do estudante, a lista de verificação, o manual do avaliador, a lista de infraestrutura e a matriz de referência da avaliação nacional. Eles também devem entregar materiais para a capacitação dos avaliadores dos departamentos regionais do Senai, como vídeos e apresentações em slides. SAEP O Sistema de Avaliação de Educação Profissional (SAEP) tem por objetivo verificar a eficiência, eficácia e efetividade dos cursos de educação profissional oferecidos pelo Senai, por meio de projetos, processos e ações específicas de avaliação interna e externa.

    LER MAIS
  • Senai capacita soldados do Tiro de Guerra de Arapiraca para o mercado de trabalho

    O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) iniciou a capacitação de 25 soldados do Tiro de Guerra 07-015, sediado em Arapiraca-AL, nos cursos de auxiliar de operações logísticas e de assistente administrativo. As aulas começaram no último dia 18 e a entrega dos diplomas está prevista para o próximo mês de julho. Juntamente com os colaboradores, a gerente da Unidade Integrada Sesi Senai Arapiraca, Thiana Cysneiros, recebeu os oficiais do Exército para formalizar a parceria. Segundo ela, a iniciativa amplia as oportunidades para os jovens que estão no serviço militar. “Fazer o curso no Senai é uma experiência que proporciona o crescimento pessoal dos alunos e o desenvolvimento da Indústria, com mão de obra qualificada. Juntando isso ao aprendizado que vêm tendo nessa fase da vida, eles podem ir longe”, afirmou. Com esta ação entre o Senai e o Exército, que é totalmente gratuita, todos ganham. “É uma parceria de grande importância, que tem como objetivo capacitar e qualificar jovens para inserção no mercado de trabalho, bem como dar-lhes oportunidades de crescimento profissional e pessoal, dessa forma, contribuindo para o desenvolvimento dos cidadãos arapiraquenses”, disse o subtenente Alfredo José Barbosa Batista, chefe da instrução. Essa turma, destaca outro oficial, é diferenciada. “Os jovens, em sua maioria, possuem o ensino médio completo e buscam com essa cooperação uma melhor qualificação profissional, em complemento às atividades desenvolvidas durante o serviço militar obrigatório”, afirma o 1º sargento José Mauricio Duarte de Oliveira, instrutor.

    LER MAIS