BLOG SENAI

Quais são as habilidades mais requisitadas em profissionais da indústria?

A procura por profissionais da indústria só tende a aumentar no Brasil. A prova mais concreta por trás desse fato está no ano de 2021, período marcado por um crescimento significativo da demanda por profissionais, atingindo uma alta de mais de 50%.

Dessa forma, com base no nítido desejo de contratação por

Continue lendo

4 dicas do Senai para micro e pequenas indústrias e empresas

É fato que a economia é instável e varia consideravelmente com o passar dos anos. Dessa forma, muitas empresas optam por manter os custos e despesas operacionais baixos, revendo contratações e reavaliando os investimentos em novos projetos.

Contudo, a melhoria contínua é vital para um negócio de sucesso. E é na crise que novas oportunidades surgem. Ao mesmo tempo em que as indústrias se esforçam para manter o orçamento enxuto, estamos passando por um ciclo de inovações constantes, principalmente tecnológicas. Quando os lucros caem, a indústria perde competitividade e é natural que os empreendedores busquem a inovação, para manter o negócio vivo e forte.

Os desafios econômicos que vivemos no país estão levando diversas industrias a buscarem soluções para aumentar produtividade e reduzir custos. Diante disso, um plano de redução de custos nas instituições e aumento da produtividade ajuda a identificar desperdícios e eliminá-los.

Com essa economia, o dinheiro pode ser redirecionado para outros setores que configuram as atividades principais do negócio. Existem muitas alternativas para isso, a maioria envolvendo a adoção de novos métodos e tecnologias. Mesmo assim, não se trata de algo tão fácil, e demanda planejamento e esforço.

Pensando nisso, listamos aqui as 4 dicas para aumentar a produtividade e reduzir os custos da sua indústria.

 

1) Realize uma análise de perda e consumo energético

A energia elétrica é um insumo vital para o crescimento do seu negócio. Porém, existe uma série de desafios a serem superados para alcançar a eficiência energética e promover um consumo consciente e sustentável de energia

Com isso, investimentos voltados para o diagnóstico energético e projetos de eficiência energética, tornaram-se cada vez mais comuns nas operações de indústrias, já que foi comprovado que é possível obter o mesmo resultado, promovendo o uso racional de energia.

Isso trouxe mais competitividade para os negócios, menor custo de produção, bem como a redução dos impactos negativos ao meio ambiente e gastos desnecessários de energia. 

 

2) Implemente um projeto de melhoria na produção 

Um projeto de melhoria é um plano que vai orientar o aprimoramento constante dos processos do seu negócio. Antes de começar um projeto de melhoria, é importante entender que para ter resultados consistentes a empresa precisa definir um objetivo e não se deve abandonar o planejamento inicial.

Assim, aplicar a melhoria contínua coloca as empresas em um ciclo onde se busca constantemente o aprimoramento dos processos existentes.

Essa metodologia se encaixa tanto para indústrias que produzem produtos ou matérias-primas ou empresas que prestam algum tipo de serviço. Mas não se trata de uma busca aleatória. O projeto de melhoria contínua de processos é orientado pelos objetivos do negócio, pelas oportunidades que as novas tecnologias oferecem e pela integração de todos os departamentos nesse objetivo.

A melhoria contínua é um motor da inovação nas empresas, pois, tanto as mudanças internas quantos as externas que impactam os clientes, podem resultar em benefícios para o crescimento do negócio.

 

3) Elabore um plano de manutenção preventiva

O plano de manutenção preventiva é uma peça fundamental para uma boa gestão do setor de manutenção e é um dos responsáveis por alavancar e garantir os índices de disponibilidade e confiabilidade dos equipamentos.

Trata-se de um documento, ou uma série de documentos, que registram todas as atividades de manutenção preventiva, assim como sua frequência, periodicidade, localização do equipamento, matérias e peças que deverão ser utilizados e quem são os profissionais responsáveis pela execução das atividades.

Esse plano deve ser elaborado em forma de roteiro e servirá de apoio para que todos os profissionais envolvidos com a manutenção possam realizar as tarefas de forma padronizada, segura e com alto índice de qualidade. Sobretudo, é necessário constar todas as informações que instruam os colaboradores de forma intuitiva, além de servir de base para tomada de decisões em tempo hábil.

O principal objetivo desse plano é a redução de desperdícios, seja de mão de obra, tempo ou materiais. Se as atividades da sua empresa ou indústria não são planejadas, sejam ligadas à manutenção ou não, pode estar certo de que existe desperdício de algum desses recursos.

 

4) Reduza custos eliminando gargalos de produção

Qual indústria não sonha em possuir processos mais fluídos e sem gargalos? O problema é que, mesmo com a oferta de novas tecnologias e profissionais cada vez mais qualificados, os negócios ainda enfrentam grandes desafios na hora de identificar e eliminar gargalos produtivos. 

Praticamente todo e qualquer processo pode apresentar um gargalo ou gap. Entretanto, nem todos são problemáticos e causam grande impacto ao seu negócio. Portanto, antes de qualquer reparação é necessário realizar um mapeamento de todos os processos de sua indústria. Identifique todos os gaps e classifique aqueles que estão criando obstáculos e gerando atrasos na execução das atividades.

Esse procedimento deve ser realizado em todos os processos, desde a compra de matéria-prima até a venda do produto final, tendo sempre a preocupação de medir quais são as etapas mais lentas e avaliar como elas podem ser melhoradas.

As alterações feitas para melhoria do processo precisam ser implantadas prontamente, mas não se pode esquecer que ações corretivas devem ser analisadas e compartilhadas com todos os colaboradores envolvidos no gargalo.

Enfim, os gargalos produtivos geram despesas desnecessárias e precisam ser identificados e resolvidos com antecedência, eliminando custos e elevando os lucros da organização.

 

Como o Senai pode lhe ajudar? 

Agora, o próximo passo é colocá-las em prática para aumentar a produtividade e reduzir os custos da sua indústria.

Entendemos que, para um negócio de micro ou pequeno porte, isso pode parecer um desafio muito grande. Porém, tudo fica mais fácil quando você pode contar com o apoio de quem já ajudou inúmeras empresas a resolverem esse tipo de problema!

O Senai pode lhe dar todo apoio nesse processo. Entre em contato com nossa equipe comercial e saiba como.

E-mail: comercial@sistemafiea.com.br

Telefone: (82) 3021-7374

Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro de todas as novidades!

A sua Indústria opera com capacidade produtiva ou ociosa?

O planejamento de uma indústria envolve inúmeros processos, um dos principais pontos desse esquema está no entendimento de sua capacidade e na rotina de sua aplicação, seja ela: ociosa ou produtiva.

Segundo um levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Economia (IBRE) da FGV, quase todos os setores das indústrias tiveram um aumento na ociosidade das fábricas. De 15 segmentos avaliados no Brasil, 12 operam com capacidade de produção abaixo da média, o nível de utilização geral ficou em 74,6% enquanto a média histórica foi de 81%. Apenas os setores farmacêuticos, papel e celulose desempenham uma capacidade produtiva elevada, mantendo um controle maior sobre a ociosidade.

Entender como funcionam essas capacidades, impacta diretamente no resultado do negócio e no crescimento de médio e longo prazo.

1) Capacidade produtiva x Capacidade Ociosa

 

O que as duas têm de semelhante é que ambas são fundamentais na organização e conhecimento do processo produtivo de uma indústria, a diferença é que a capacidade produtiva estima o que a empresa conseguirá compor, levando em consideração todos os recursos disponíveis nesse processo, alinhando o tempo, demanda e comercialização. Enquanto a capacidade ociosa é o resultado da baixa atividade do setor e representa o que está sendo perdido no processo de produção, como mão de obra sem função, maquinário inutilizável, material em excesso e demais condições que prejudicam uma visão geral da empresa.

Dessa forma, vale entender que a capacidade produtiva em excesso também não é efetiva para o negócio, podendo gerar acúmulos nos estoques, realocação de produtos, entre outras perdas. Então, fique atento para manter o bom equilíbrio da sua produção.

2) As boas práticas

 

É importante planejar sua indústria de acordo com a realidade identificando os limites da empresa, esse é o primeiro passo para desenvolver cada etapa da operação.

E de que modo, então, é possível diminuir a capacidade ociosa e adequar o volume da produção?

Definir com clareza algumas metas de produtividade, capacitar profissionais atualizando sempre suas habilidades e novos conhecimentos para que consigam resolver problemas e lidar com improvisos de suas rotinas, investir em novos equipamentos e realizar manutenção dos mesmos impedindo que a capacidade ociosa aumente. Otimizar os processos industriais por meio de sistemas que integram todas as áreas gerindo de forma ampla a indústria.

Quer saber mais sobre as ferramentas disponíveis para implementar e melhorar os processos produtivos de sua indústria?

Clique aqui e conheça o LEAN MANUFACTURING.

Renda extra? 5 cursos do SENAI que podem lhe ajudar

R$ 1.200,00 até R$ 1.300,00. Neste ano de 2022, cerca de 33 milhões de brasileiros estão tentando viver com essa renda média, de acordo com os indicadores da Pesquisa Nacional Por Amostra de Domicílio (PNAD) feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Então, fazer uma renda extra se tornou uma alternativa muito interessante para melhorar a situação financeira.

E sabe quem pode lhe ajudar? O SENAI.

Com o SENAI, você consegue se especializar em uma área e ser capaz de oferecer produtos e serviços de qualidade. 

Neste artigo, listamos 5 cursos em áreas diferentes. Escolha o que melhor se encaixa em seu perfil profissional e mãos à obra!

Os 5 cursos que podem te ajudar a fazer uma renda extra:

 

Confeiteiro

No ano de 2020, uma pesquisa da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) indicou que cerca de 63% dos brasileiros consomem doces mais de uma vez por semana.  

Com uma tendência de crescimento, principalmente depois da pandemia, o segmento da confeitaria se tornou uma excelente opção para quem quer adquirir uma renda extra.

Dessa forma, existe um grande público, somado ao nítido interesse na compra de chocolates, tortas, bolos, brigadeiros, brownies, biscoitos, entre muitos outros. Além disso, nas datas sazonais, como a páscoa, há um aumento na procura por doces em geral. 

Ao fazer um curso de confeitaria do SENAI, você irá aprender como elaborar produtos básicos de confeitaria e também como preparar, montar e finalizar diversos tipos de doces.

 

Corte e costura

O curso de corte e costura chama atenção pelo fato da indústria da moda ser a que mais emprega. A expectativa é que, até 2025, este mercado produza mais de 300 oportunidades de trabalho.

Dessa forma, com cada vez mais pessoas buscando serviços de costura, a tendência é que existam muitas opções para fazer uma renda extra,  seja reparando roupas, produzindo bolsas, confeccionando itens de decoração etc.

Por meio do curso de corte e costura do SENAI, você irá aprender como manusear equipamentos, máquinas e acessórios essenciais para costurar, isto é, entendendo pontos importantes para o trabalho como regulagem de pontos, passamento de fios e confecção de peças do vestuário.

 

Criação de fantasias infantis

Se você já tem experiência com costura, este curso vai lhe agradar!

A ideia principal é aproveitar as datas comemorativas como Carnaval, quando existe uma alta demanda de produção de fantasias e, consequentemente, uma grande possibilidade de gerar renda extra.

Além disso, você poderá aproveitar outras datas festivas, como aniversários e eventos escolares.

Ao fazer este curso, você vai aprender a criar e montar fantasias, assim como descobrir diferentes tipos de materiais.

 

Fabricação de pães

O mercado da panificação está aumentando. Em 2021, o faturamento de aproximadamente R$ 105 bilhões no país, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Panificação e Confeitaria (ABIP). Isso mostra que o pão é um alimento essencial no cotidiano dos brasileiros.

Assim, com uma procura cada vez maior, você não vai precisar se preocupar em pensar em datas comemorativas ou muitas estratégias de vendas, sempre enxergando oportunidade de fazer uma renda extra.

O curso de fabricação de pães do SENAI vai lhe ensinar técnicas de fabricação, alinhadas com os padrões de qualidade e boas práticas, bem como entregar pães nutritivos e saborosos, sejam eles salgados ou doces.

 

Instagram para negócios

O conhecimento da plataforma do Instagram é essencial para quem quer otimizar um negócio e melhorar a percepção sobre a marca.

Aliás, você sabia cerca de 80% das pessoas que usam o Instagram seguem pelo menos uma loja ou marca? Isso abre espaço para a contratação de profissionais especializados em administrar os perfis empresariais, lidar diretamente com o público e empreender.  

Instagram para negócios é um curso do SENAI que lhe ensina a usar a ferramenta de forma sucinta e eficaz, sobretudo lhe ajuda a divulgar produtos e serviços, atrair clientes e vender.

Por fim, se você pretende fazer este curso para empreender, recomendamos a leitura deste nosso artigo, no qual aborda soft skills para empreendedores. 

 

Chegou a hora de você fazer a sua renda extra

 

Então, gostou dos cursos? Independente de qual curso você optar, saiba que todos eles possuem a excelência e qualidade que só o SENAI tem e são ideais para quem está buscando ganhar um dinheiro a mais.

Aqui, você pode ver todos os cursos disponíveis do SENAI Alagoas

Siga-nos nas redes sociais: 

Curso técnico: o que é, seus tipos, suas áreas e por que fazer?

O curso técnico é a melhor opção para quem está precisando trabalhar. A demanda por profissionais de nível técnico na indústria brasileira está aumentando ao longo dos anos. Dessa forma, fica cada vez mais claro, para os jovens e adultos, a necessidade de incluir o ensino técnico em seus currículos.

Então, preparamos um artigo com tudo que é importante saber sobre essa modalidade de ensino.

 

1) O que é um curso técnico?

O curso técnico é uma modalidade de ensino que pode ser realizada pelos alunos durante o Ensino Médio ou após a conclusão do Ensino Básico.

A idade mínima para realizar o curso técnico é de 16 anos. Já em relação a sua duração, é possível concluí-lo em 1 a 2 anos, o que é considerado um diferencial para quem quer ingressar rapidamente no mercado.

Ao finalizar, o estudante receberá o diploma de conclusão do curso técnico. Além disso, é importante ressaltar que o diploma é válido em todo Brasil e, sobretudo, no exterior, por meio de trâmite entre o governo brasileiro e governo do país estrangeiro.

 

2) Quais são os tipos de cursos técnicos? 

Podem ser divididos em três categorias, cada uma com suas próprias particularidades:

 

  • Integrado;

 

O aluno faz ao mesmo tempo o ensino médio e o curso técnico. No fim, ele recebe dois diplomas: diploma de conclusão do médio e diploma de conclusão de técnico.

Ou seja, nesta modalidade, ambos os cursos devem ser feitos na mesma instituição, em horários diferentes. Para ser matriculado no curso técnico, é necessário ter concluído o ensino médio.

 

  • Externo ou concomitante;

 

Para fazer um curso nesta modalidade, o estudante precisa ter finalizado o ensino médio ou então estar cursando os dois anos finais. A diferença em relação à modalidade anterior é que tanto o Ensino Médio quanto o curso técnico, deverão ser feitos ao mesmo tempo, porém em instituições diferentes.

 

  • Profissionalizante ou subsequente.

 

O aluno que já concluiu o Ensino Médio pode iniciar o curso técnico, em outras palavras, ele o realiza subsequentemente ao Ensino Médio.

 

3) Quais são suas áreas?

A princípio, o Ministério da Educação (MEC), através do Catálogo Nacional de Cursos Técnicos (CNCT), reconhece 13 áreas, ou eixos tecnológicos, que servem como base para cerca de 200 cursos técnicos.

São elas:

 

  • Ambiente e Saúde;
  • Controle e Processos Industriais;
  • Desenvolvimento Educacional e Social;
  • Gestão e Negócios;
  • Informação e Comunicação;
  • Infraestrutura;
  • Militar;
  • Produção Alimentícia;
  • Produção Cultural e Design;
  • Segurança;
  • Recursos Naturais;
  • Produção Industrial;
  • Turismo, Hospitalidade e Lazer.

 

4) Por que fazer um curso técnico?

Segundo pesquisa feita pelo SENAI, entre 2008 e 2012, aproximadamente 74% dos estudantes que realizaram cursos técnicos, um ano depois da sua conclusão já estavam inseridos no mercado de trabalho.

Confira 3 vantagens desta modalidade:

 

  • Praticidade;

 

Porque o curso técnico é prático? Nele, o estudante é preparado, de forma prática, para ser qualificado profissionalmente, enquanto deixa a parte teórica de lado e foca em finalizar seu estudo para atuar na sua respectiva área assim que concluir o curso.

  • Acessibilidade;

 

A acessibilidade aparece nos cursos técnicos pelo fato das mensalidades serem mais acessíveis e menos custosas em comparação com as dos cursos superiores.

  • Rápida inserção no mercado.

 

Com a duração média de dois anos, o curso técnico prioriza a rápida inserção no mercado para os estudantes. Assim, oferece ensinamentos, ferramentas e princípios para eles atenderem as demandas do mercado.

 

Aqui, você pode ver nossos cursos técnicos do SENAI que estão disponíveis! Siga-nos também nas redes sociais:

TODOS OS ARTIGOS