Notícias

Para empresários, Sesi e Senai são os que mais contribuem na formação do trabalhador

Terça-feira, 30 de julho de 2019

A pesquisa buscou avaliar a percepção sobre a qualidade do ensino técnico no Brasil, a qualidade da educação básica, técnica e profissional oferecida por Sesi e Senai e a imagem que os empresários têm das instituições

Uma sondagem realizada pelo Instituto FSB Pesquisa, com quatro mil empresários de todas as regiões do País, aponta que o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e o Serviço Social da Indústria (Sesi) têm imagem altamente positiva e que suas atuações têm altas taxas de aprovação no setor privado.

O empresariado, revela a pesquisa, considera que as entidades da Indústria são as que mais contribuem para a qualificação profissional no país. Os empresários ouvidos são CEOs, presidentes, vice-presidentes e sócios de empresas de micro, pequeno, médio e grande portes.

A pesquisa buscou avaliar a percepção sobre a qualidade do ensino técnico no Brasil, a qualidade da educação básica, técnica e profissional oferecida por Sesi e Senai e a imagem que os empresários têm das instituições, em comparação com outros atores do ensino técnico.

Numa escala de 0 a 10, as entidades do chamado Sistema S receberam nota 7,0 por sua contribuição à qualificação profissional, frente aos 6,3 da rede privada e 4,9 da rede pública. Quando se referem aos cursos do Senai e às ações de educação do Sesi, a opinião também é positiva. Para 83,2% dos entrevistados, os cursos do Senai são ótimos ou bons, enquanto 77,4% têm a mesma visão sobre as ações do Sesi. Quando perguntados sobre a imagem de Sesi e de Senai, 89,7% a consideram positiva.

“O Sesi e o Senai têm um elevado reconhecimento da população brasileira com relação ao indispensável trabalho que realizam na qualificação de mão de obra de trabalhadores de vários setores, na formação de jovens de baixa renda e em ações para o aumento da produtividade e da inovação no setor industrial brasileiro”, diz o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade.

“As instituições servem ao objetivo de atender e antecipar as diversas demandas dos diversos setores da indústria. A qualificação permanente e atualizada da mão de obra exige sinergia e simbiose com quem produz”, concluiu.

Gestão – Como integrantes dos Serviços Sociais Autônomos – o chamado Sistema S – as entidades são financiadas por contribuições compulsórias recolhidas sobre as folhas de pagamento das empresas industriais.

Para os ouvidos, em relação ao modelo de gestão de recursos, 78,3% consideram que as entidades empresariais são as que têm maior capacidade para administrar os recursos, enquanto 11,6% avaliam que a atribuição deve ficar com o governo e 4,3% consideram que deve ficar com ambos; 84,1% concordam total ou parcialmente que a gestão privada garante maior eficiência à utilização dos recursos utilizados na educação profissional.

PRINCIPAIS CONCLUSÕES DA PESQUISA COM EMPRESÁRIOS

- 57,3% dos empresários avaliam como ótimo ou bom o ensino técnico e profissional no Brasil;
- 85,2% dos empresários avaliam o trabalho do SESI e do SENAI como bom ou ótimo;
- 89,7% dos empresários têm imagem positiva ou muito positiva do SESI e do SENAI;
- A qualidade dos cursos do SENAI é tida como seu principal ponto forte por 41,2% dos ouvidos;
- Com nota 7,0, as entidades do Sistema S são as que mais contribuem para a qualificação profissional. A rede privada de ensino, com nota 6,3, e rede pública (4,9) contribuem em menor medida, segundo os empresários;
- 91,2% dos empresários têm imagem positiva ou muito positiva do SENAI. Para o SESI, esse percentual é de 79,4%.

Compartilhe: