Área do clienteCadastre-se

Notícias

Evento no Senai alerta sobre riscos de morte por choque elétrico

Terça-feira, 08 de agosto de 2017

A Abracopel, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), promove em Maceió duas ações de conscientização e capacitação para a população leiga e também para os profissionais do setor elétrico

Em 2016, Alagoas ficou em sétimo lugar no ranking nacional das mortes por choque elétrico. Porém, quando se faz uma análise em relação à população, o estado sobe para o 3º lugar. No entanto, se levar em conta o número de mortes comparado à área do Estado, ocupa o primeiro lugar no país.

Outro dado importante sobre Alagoas é que, das 21 mortes por choque elétrico, 17 ocorreram dentro de casa. Os números são da Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade (Abracopel), que lançou o 1º Anuário Estatístico dos Acidentes de Origem Elétrica e o Raio-X das Instalações Elétricas Brasileiras, este em parceria com o Instituto Brasileiro do Cobre (Procobre).

Diante destes números, a Associação, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), promove em Maceió duas ações de conscientização e capacitação para a população leiga e também para os profissionais do setor elétrico.

Pela primeira vez, em Alagoas, será promovido o Encontro de Profissionais Eletricistas, nesta quarta-feira, às 8h30 horas, na unidade do Senai localizada no bairro do Poço. E nesta quinta-feira, 10, no mesmo local e horário, ocorre o Seminário de Gerenciamento do Risco Elétrico, com foco no profissional de segurança do trabalho.

São dois eventos totalmente gratuitos, que vão trazer muitas informações das empresas de maior credibilidade no Brasil e no mundo, com apresentação de novas tecnologias e equipamentos, além de palestras sobre normalização e vários outros conceitos necessários para os profissionais que querem se diferenciar no mercado.

“Estas ações são fundamentais para trazer informação de qualidade para os profissionais e, principalmente no Nordeste, região que tem mantido um crescimento muito grande e onde os profissionais precisam cada vez mais se qualificar, estes eventos trazem um diferencial com informação, capacitação e troca de conhecimento”, garante o diretor executivo da Abracopel, engenheiro Edson Martinho.

Os eventos oferecem certificado de participação para que os profissionais possam comprovar a qualificação recebida.

NÚMEROS

Os dados da Abracopel confirmam que, no ano de 2016, 653 pessoas perderam suas vidas em acidentes de origem elétrica. Destas, 599 mortes foram por choque elétrico, 33 mortes em incêndios gerados por curtos-circuitos e 24 por descargas atmosféricas (raios).

Estes e outros dados estão contidos no 1º Anuário Estatístico dos Acidentes de Origem Elétrica lançado pela Abracopel ao lado de outro documento igualmente importante, o Raio-X das Instalações elétricas brasileiras. Ambas as publicações mostram que se as instalações elétricas das casas dos brasileiros estão ruins – o resultado, infelizmente, não poderia ser diferente: os acidentes.

A pesquisa (Raio-X), conduzida pelo Procobre e pela Abracopel em mais de 1000 residências brasileiras em todo o território brasileiro, revela que somente 29% delas possuem projeto elétrico – sendo 25% elaborados por eletricistas; 48% dos imóveis não possuem o condutor de proteção (fio terra) instalado e apenas 27% das moradias possuem DR, um dispositivo de proteção que, ao interromper a fuga de corrente, reduz o risco das consequências de um choque elétrico.

Para o diretor-adjunto do Procobre, Antonio Maschietto, “o cenário é bastante preocupante e mostra a necessidade de readequação das instalações elétricas, principalmente dos imóveis com idade média de 20 anos de construção”.

Essa preocupação se justifica ao verificarmos que os acidentes ocorridos dentro de residências somaram 173 mortes em 2016. Além das mortes por choque elétrico dentro de casa, os incêndios originados por sobrecarga e/ou curtos-circuitos vêm traçando uma ascendência alarmante: em 2013 foram 200 casos registrados que subiu para 295 em 2014.

Em 2015, o salto foi assustador: 441 incêndios e em 2016, o crescimento continuou com 448 casos de incêndios, sendo a maioria em residências. Em 2016 foram registradas 33 mortes nestes incêndios, 30 delas em residências.

O Nordeste continua o campeão em mortes por acidentes de origem elétrica. Em 2016 foram 271 mortes por choque elétrico, seguido pela região Sudeste com 116, Sul com 109, Centro-Oeste com 60 e Norte com 43. Dos estados do Nordeste, a Bahia é a campeã em mortes por choque elétrico com 67 mortes.

Um dado inédito divulgado no lançamento do Anuário revela os números do primeiro trimestre deste ano. Em 2017, entre janeiro e março, ocorreram 212 mortes em acidentes de origem elétrica, sendo 190 mortes por choques elétricos, 15 mortes por descargas atmosféricas (raios) e 7 mortes em incêndios originados em curtos-circuitos. Das mortes ocorridas por choques elétricos, 56 ocorreram dentro de residências (casas, apartamentos, sítios, fazendas) e 60 mortes ocorreram na rede aérea de distribuição.

SERVIÇO:

ENCONTRO DE PROFISSIONAIS ELETRICISTAS DE MACEIÓ
Dia 09/08/2017 das 8h30 às 18h


SEMINÁRIO GERENCIAMENTO DE RISCO ELÉTRICO
Dia 10/08/2017 das 8h30 às 18h00


INSCRIÇÃO:
Whatsapp: 11-94114-9559
E-mail: secretaria@abracopel.org.br
LOCAL:
Senai – Poço
Rua Pedro Américo, 18 Maceió

Compartilhe: