Área do clienteCadastre-se

Notícias

Curso de energia solar do Senai qualifica profissionais para área promissora

Quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Durante a qualificação, eles aprendem a trabalhar com o kit que faz a captação da energia solar e sua conversão em eletricidade. A energia produzida pode ser usada tanto por clientes residenciais quanto pela indústria

“É o futuro!”, garantem os profissionais que acabaram de concluir o curso de energia solar fotovoltaica off-grid no Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). A procura pela qualificação em uma área promissora no país – a produção de energia sustentável por ser limpa, renovável e de baixo custo – é crescente no Estado.

Foram 16 vagas na última turma, mas o Senai teve que ampliar para 21, por conta da demanda. A maioria dos alunos é de profissionais em busca de atualizar os conhecimentos, como o engenheiro-eletricista Luiz Alberto Lima Correia, de 38 anos. “Matriculei-me no curso em virtude da pouca informação sobre energia solar que tive durante minha formação. Saber que o Senai está fazendo esse curso aqui, em Maceió, foi muito interessante para aperfeiçoar e ampliar meus conhecimentos”, destacou.

Durante a qualificação, eles aprendem a trabalhar com o kit que faz a captação da energia solar e sua conversão em eletricidade. A energia produzida pode ser usada tanto por clientes residenciais quanto pela indústria que, além de economizar na conta de energia, podem vender a eletricidade excedente para a rede, gerando crédito.

“A vantagem dessa modalidade é, em primeiro lugar, ter uma energia limpa, que não polui. Além disso, você vai pagar a taxa mínima da conta de luz e vai gerar energia para si próprio. Essa taxa mínima vala para todas as áreas: industrial, residencial, predial...”, explica o instrutor da área de Eletroeletrônica do Senai/AL, André Lima.

Segundo ele, apesar de o custo de instalação do sistema fotovoltaico ser considerado um pouco elevado, a energia solar se consolida uma das mais viáveis alternativas de geração de eletricidade, com retorno garantido de 3 a 4 anos. “A durabilidade de um painel fotovoltaico é de 25 anos. Então, você tem aí um retorno em três anos e vai ficar outros 22 anos pagando a taxa mínima na conta de luz”, diz.

Além disso, há linhas de financiamento específicas para os interessados em adotar a geração de energia solar, com prazos generosos, disponibilizadas pelo Banco do Nordeste e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), para pessoas físicas e jurídicas.

Pesa ainda a favor desse mercado a radiação solar média que incide sobre a superfície do Brasil, que é de até 2300 quilowatt-hora por metro quadrado (kWh/m²), de acordo com o Atlas Solarimétrico, elaborado pelo Centro de Pesquisas de Energia Elétrica (Cepel), da Eletrobras, com sede no Rio de Janeiro.

Com um mercado promissor, demanda crescente e linhas de crédito disponíveis, o curso atrai pessoas como o técnico de informática Paulo Sérgio Rocha Monteiro, de 50 anos. “Hoje é a solução, e algo que vai substituir essa nossa crise de água. Com certeza, em termos de mercado, é o futuro. Minha perspectiva é a melhor possível!”, revela.

Novas turmas

O Senai está com vagas abertas para nova turma curso de energia solar fotovoltaica off-grid, com duração de duas semanas e início previsto para 4 de dezembro. Os interessados podem ligar para o (82) 3223.2200.

Compartilhe: