Notícias

Alagoas terá de qualificar 62.495 mil trabalhadores em profissões industriais até 2023

Terça-feira, 01 de outubro de 2019

Mapa do Trabalho Industrial, do SENAI, mostra que metalmecânica e energia estão entre as áreas que mais vão exigir capacitação de técnicos no estado; estudo também aponta a demanda nos níveis superior e de qualificação

O estado de Alagoas terá de qualificar 62.495 trabalhadores em ocupações industriais nos níveis superior, técnico, qualificação e aperfeiçoamento entre 2019 e 2023. Os dados são do Mapa do Trabalho Industrial, elaborado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) para subsidiar a oferta de cursos da instituição. Essas ocupações têm em sua formação conhecimentos de base industrial e por isso são oferecidas pelo SENAI, mas os profissionais podem atuar em qualquer setor da economia.

A demanda prevista pelo estudo inclui, em sua maioria, o aperfeiçoamento (formação continuada) de trabalhadores que já estão empregados. Em parcela menor (24%) estão aqueles que precisam de capacitação para ingressar no mercado de trabalho (formação inicial). Nesse grupo estão pessoas que vão ocupar tanto novas vagas quanto postos já existentes e que se tornam disponíveis devido a aposentadoria, entre outras razões.

Além de subsidiar a oferta de cursos do SENAI, o Mapa do Trabalho pode apoiar jovens na escolha da profissão e trabalhadores que desejam se recolocar no mercado. “O profissional qualificado de acordo com a necessidade do mundo de trabalho tem mais chances de manter o emprego e também pode conseguir uma nova oportunidade mais facilmente quando as vagas forem oferecidas”, afirma o diretor-geral do SENAI, Rafael Lucchesi.

FORMAÇÃO DE TÉCNICOS – As áreas que mais vão demandar a capacitação de profissionais com formação técnica em Alagoas são transversais, metalmecânica; energia e telecomunicações; entre outras. Profissionais com qualificação transversal trabalham em qualquer segmento, como técnicos em eletrotécnica e técnicos de controle da produção.

Cursos técnicos têm carga horária entre 800h e 1.200h (a partir de 1 ano e 6 meses) e são destinados a alunos matriculados ou egressos do ensino médio. Ao término, o estudante recebe um diploma reconhecido pelo MEC. 

Áreas com maior demanda por formação - Técnicos

Áreas

Demanda 2019-2023

Transversais

1.873

Metalmecânica

1.714

Energia e telecomunicações

1.124

Química, borracha, petroquímica, petróleo, gás e fármacos

942

Construção

924

 

Ocupações industriais com maior demanda por formação dentro e fora da indústria - Técnicos

Ocupações

Profissionais a serem qualificados  

Mecânicos de manutenção metroferroviária

792

Técnicos em eletrônica

611

Técnicos em operação e monitoração de computadores

495

Técnicos de controle da produção

471

Supervisores da construção civil

463

Técnicos em eletricidade e eletrotécnica

427

Técnicos químicos

418

Operadores polivalentes de equipamentos em indústrias químicas, petroquímicas e afins

374

Técnicos de planejamento e controle de produção

342

Instaladores-reparadores de linhas e equipamentos de telecomunicações

341

 

QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL – Já os cursos de qualificação são indicados a jovens ou profissionais, com escolaridade variável de acordo com o exercício da ocupação, e buscam desenvolver novas competências e capacidades. Ao final, o aluno recebe um certificado de conclusão.  As áreas que mais vão exigir a capacitação de trabalhadores com esse tipo de formação, de acordo com o Mapa do Trabalho Industrial 2019-2023 serão:

Áreas com maior demanda por formação

Áreas

Demanda 2019-2023

Metalmecânica

3.280

Alimentos

2.234

Energia e telecomunicações

1.336

Mineração

997

Eletroeletrônica

781

Construção

11.973

Logística e transporte

7.955

Transversais

4.755

Metalmecânica

4.734

Alimentos

1.769

    

Segundo o Mapa, entre as ocupações que exigem cursos de qualificação e que mais vão demandar profissionais capacitados estão mecânicos de manutenção de veículos automotores, padeiros, confeiteiros, entre outros:

Ocupações industriais com maior demanda por formação dentro e fora da indústria

Ocupações

Profissionais a serem qualificados  

Mecânicos de manutenção de veículos automotores

1.360

Padeiros, confeiteiros e afins

1.074

Trabalhadores de instalações elétricas (160h)

760

Trabalhadores de extração de minerais sólidos (operadores de máquinas)

722

Eletricistas de manutenção eletroeletrônica

669

Mecânicos de manutenção de máquinas industriais

617

Encanadores e instaladores de tubulações

585

Instaladores e reparadores de linhas e cabos elétricos, telefônicos e de comunicação de dados

569

Trabalhadores na fabricação e conservação de alimentos

464

Operadores de instalações e máquinas de produtos plásticos, de borracha e moldadores de parafinas

428

 

Ocupações industriais com maior demanda por formação dentro e fora da indústria

Ocupações

Profissionais a serem qualificados  

Ajudantes de obras civis

6.415

Motoristas de veículos de cargas em geral

5.672

Alimentadores de linhas de produção

3.687

Trabalhadores de estruturas de alvenaria

2.698

Trabalhadores da mecanização agrícola

2.627

Trabalhadores operacionais de conservação de vias permanentes (exceto trilhos)

1.484

Apontadores e conferentes

1.244

Trabalhadores de embalagem e de etiquetagem

1.067

Trabalhadores de soldagem e corte de ligas metálicas

935

Trabalhadores na operação de máquinas de terraplenagem e fundações

786

 

Em relação ao nível superior, as áreas de gestão, informática e construção serão as que mais vão precisar qualificar profissionais no período de 2019 a 2023, de acordo com o Mapa do Trabalho:

Áreas com maior demanda por formação – Superior

Áreas

Demanda 2019-2023

Gestão

1.531

Informática

1.034

Construção

550

Metalmecânica

190

Logística e transporte

160

    

Ocupações industriais com maior demanda por formação dentro e fora da indústria - Superior

Ocupações

Profissionais a serem qualificados

Analistas de tecnologia da informação

862

Engenheiros civis e afins

392

Gerentes de produção e operações em empresa da indústria extrativa, de transformação e de serviços de utilidade pública

266

Engenheiros de produção, qualidade, segurança e afins

124

Gerentes de suprimentos e afins

105

Gerentes de manutenção e afins

93

Gerentes de tecnologia da informação

93

Arquitetos e urbanistas

90

Engenheiros eletricistas, eletrônicos e afins

84

Administradores de tecnologia da informação

75

Engenheiros mecânicos e afins

75

 

METODOLOGIA - O Mapa do Trabalho Industrial é elaborado a partir de cenários que estimam o comportamento da economia brasileira e dos seus setores; projeta o impacto sobre o mercado de trabalho e estima a demanda por formação profissional industrial (formação inicial e continuada). As projeções e estimativas são desagregadas no campo geográfico, setorial e ocupacional, e servem como parâmetro para o planejamento da oferta de cursos do SENAI.

Na opinião de Rafael Lucchesi, conhecer as necessidades do mercado é fundamental para o planejamento da oferta de formação profissional. “O SENAI é referência em educação profissional porque está alinhado com as necessidades da indústria e mantém seus cursos atualizados com o que existe de mais avançado em termos de tecnologia”, explica.

A instituição possui o Modelo SENAI de Prospecção, que permite prever quais serão as tecnologias utilizadas no ambiente de trabalho em um horizonte de cinco a dez anos. A metodologia já foi transferida a instituições de mais de 20 países na América do Sul e no Caribe. O método foi apontado ainda pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) como exemplo de experiência bem sucedida na identificação da formação profissional alinhada às necessidades futuras das empresas.

Compartilhe: